São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Economia
Dezembro 15, 2018 - 01:54

PIB da RMVale vai fechar 2018 com crescimento de 3,4%, projeta Seade

Linha de produção da Alstom

PRODUÇÃO. Linha de montagem da Alstom na região. Ao lado, pista da Embraer e vista da cidade de Taubaté

Foto: Rogério Marques/OVALE

Estimativa do Seade prevê que crescimento do PIB do Vale do Paraíba será o 2º maior de SP, atrás de Sorocaba e acima da média estadual; entre os setores, a indústria de transformação deverá aumentar o seu PIB em 4,5%

Xandu [email protected]

O PIB (Produto Interno Bruto) da RMVale deve crescer 3,4% em 2018, segundo estimativa da Fundação Seade, e passar de R$ 30 bilhões.

Trata-se da segunda maior estimativa entre as regiões metropolitanas do estado de São Paulo, perdendo apenas para a região de Sorocaba, cuja riqueza deverá crescer 6,2% no ano.

As outras têm crescimento abaixo de 3%, como é o caso de Campinas (2,9%), São Paulo (1,9%) e da Baixada Santista (1,8%) -- não há informações disponíveis para a região metropolitana de Ribeirão Preto.

De acordo com os dados mais recentes do Seade, a produção de riquezas dos 39 municípios do Vale foi de R$ 29,1 bilhões no final do segundo trimestre deste ano, o equivalente a 5,3% do PIB paulista (R$ 540,5 bilhões).

A região obteve o terceiro melhor desempenho no Estado, abaixo apenas da Região Metropolitana de São Paulo (R$ 289,7 bilhões) e da região de Campinas (R$ 97,3 bilhões).

ECONOMIA.

Segundo o Seade, a economia paulista deve crescer 2,5% em 2018.

"Esse patamar é superior ao projetado pelo Boletim Focus para a economia brasileira no mesmo período, de 1,4%", apontou o Seade, que estima um crescimento de 1,5% no PIB paulista em 2019.

No entanto, o resultado até o final de ano será menor do que aquele apurado na economia paulista em abril, quando o PIB apontava crescimento de 2,9%, e em junho, quanto o aumento apurado foi de 2,7%.

Quanto aos setores da economia, o Seade prevê um crescimento de 4,5% para a indústria de transformação, sendo que a indústria em geral deve fechar com 3,2% de alta no PIB.

Caem serviços e indústria; agropecuária segura alta do PIB

Até junho deste ano, no final do segundo trimestre, a agropecuária puxou o crescimento do PIB da RMVale, com alta de 7,9%.

Em seguida veio o setor de serviços, com alta de 3,9% e a indústria, com 3,3% --este índice ficou abaixo da média estadual da indústria, de 3,9%.

A má notícia é que o PIB da RMVale recuou 3,1% no segundo trimestre de 2018 na comparação com o trimestre anterior, segundo o Seade.

O PIB de serviços e da indústria também caiu no período: -3,5% e -2,3%, respectivamente. Apenas a riqueza da agropecuária cresceu: 0,8%.

São José e Taubaté estão entre as cidades com maior fatia do PIB estadual, diz Seade

São José dos Campos e Taubaté estão no ranking das 20 cidades paulistas com a maior participação no PIB (Produto Interno Bruto) do Estado de São Paulo.

A maior cidade da RMVale perdeu cinco posições na lista estadual. De 4º município com maior participação no PIB estadual em 2002, com 2,6% da riqueza paulista, São José caiu para o 9º lugar em 2014, com 1,7%, segundo os dados mais atuais da Fundação Seade.

Taubaté manteve a mesma fatia percentual nos dois anos: 0,8%, mas melhorou a posição do 18º para o 16º lugar. São Paulo lidera as duas listas, mas também com queda: 36,4% da riqueza paulista em 2002 para 33,8%, em 2014.

Na análise por setor, a RMVale se destaca na área industrial, com quatro cidades entre as 20 maiores contribuidoras para a riqueza paulista.

São elas São José (5ª posição com 2,6% da riqueza industrial no Estado), Taubaté (10ª e 1,5%), Ilhabela (11ª e 1,3%) e Jacareí (18ª e 1%). Na comparação com a lista de 2002, a novidade foi a entrada de Ilhabela entre as 20 maiores do Estado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO