São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Economia
Setembro 12, 2018 - 23:29

Contribuinte do Vale paga R$ 1,7 bilhões em impostos de janeiro a setembro

Impostômetro

Impostômetro

Foto: Divulgação

Valor pago em impostos federais, estaduais e municipais na região em 2018, até setembro, é 10,61% maior do que o do mesmo período de 2017; dinheiro serviria para construir 560 unidades de UPA 24 horas ou ainda 110 escolas

Xandu [email protected]

A lista de obras é grande: 560 prédios de UPA (Unidade de Pronto Atendimento) 24 horas ou 110 escolas para 1.000 alunos ou 9.400 ambulâncias do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) ou ainda 1.130 creches para até 200 crianças.

Cada uma dessas opções --ou uma combinação delas-- poderia ser construída no Vale do Paraíba com R$ 1,7 bilhão em impostos pagos neste ano pelos cidadãos da região. É muito dinheiro.

O levantamento é feito diariamente pelo Impostômetro, ferramenta da Associação Comercial de São Paulo que apura a arrecadação de impostos desde o início do ano. O valor representa o total de tributos federais, estaduais e municipais, incluindo taxas, contribuições e impostos, pagos pela população.

Desde o início do ano até esta quarta-feira, os cidadãos do Vale pagaram, em média, R$ 6,6 milhões em impostos por dia, equivalente ao valor de duas unidades de UPA.

Para piorar, o valor pago em 2018 representa 10,61% de aumento frente aos gastos com impostos no ano passado, entre 1º de janeiro e 12 de setembro: R$ 1,5 bilhão.

A taxa de crescimento dos tributos na região é maior do que a nacional (9%) e a estadual (9,16%). No Brasil, os impostos alcançaram R$ 1,6 trilhão nesta quarta-feira. No Estado de São Paulo, o valor chegou a R$ 600 bilhões.

GASTOS.

"O avanço da arrecadação revela que o problema das finanças públicas não está do lado da receita: está do lado dos gastos", disse Marcel Solimeo, economista da ACSP. "O consumidor, que irá votar, precisa acompanhar de perto a aplicação dos recursos e exigir que os governos utilizem o dinheiro para melhorar os serviços públicos".

Quase a metade do total arrecadado na região foi pago nas duas maiores cidades: São José e Taubaté. Juntas, elas foram responsáveis por 46% dos impostos, com R$ 785,3 milhões --R$ 560,4 milhões em São José e R$ 224,8 milhões em Taubaté.

IMPOSTÔMETRO.

Em São José, os cidadãos poderão acompanhar de perto a evolução dos impostos. Nesta sexta-feira, a ACI (Associação Comercial e Industrial) da cidade lança o painel do Impostômetro em sua sede, no centro. Será possível ver a arrecadação no município.

Cidades da região pagam mais impostos doque capitais; São José supera 13 municípios

Os contribuintes de São José dos Campos, Taubaté, São Sebastião, Jacareí e Caraguatatuba pagam mais impostos do que em capitais brasileiras. Todas as cidades superam os impostos arrecadados em Boa Vista (RR), Rio Branco (AC) e Macapá (AP).

Os tributos pagos neste ano em São José (R$ 560,4 milhões) são maiores do que de 13 das 26 capitais estaduais brasileiras --não há dados sobre o Distrito Federal. Com R$ 224,8 milhões pagos em impostos, os contribuintes de Taubaté tiveram mais tributos do que quatro capitais brasileiras: Palmas (TO), além das três citadas acima, que são superadas por São Sebastião (R$ 207,5 milhões), Jacareí (R$ 147,4 milhões) e Caraguatatuba (R$ 109,1 milhões).

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO