São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Agosto 01, 2018 - 00:45

MP aponta corrupção em secretaria na gestão do PT em São José

Paço Municipal

 Denúncia. Apuração foi feita com base em sindicância do governo

Foto: /Claudio Vieira / PMSJC

Promotoria ajuíza ação por denúncias na antiga Secretaria de Serviços Municipais, com base em sindicância iniciada pelo próprio governo Carlinhos e finalizada na gestão Felicio

Caíque [email protected]
São José dos Campos

O Ministério Público ajuizou uma ação de improbidade administrativa em que aponta que a antiga SMM (Secretaria de Serviços Municipais) da prefeitura de São José dos Campos foi palco de um esquema fraudulento entre os anos de 2014 e 2016.

A base da ação é uma sindicância interna iniciada pela prefeitura ainda no governo Carlinhos Almeida (PT) e finalizada na gestão Felicio Ramuth (PSDB).

Segundo a denúncia, o esquema de fraude na extinta SSM, hoje Secretaria de Manutenção na Cidade, incluía superfaturamento e pagamentos irregulares sobre o fornecimento de materiais.

A ação cita o envolvimento de funcionários da chefia da pasta, inclusive o ex-secretário Antonio Carlos Wolff Naldony e outros seis servidores da prefeitura, entre comissionados e efetivos. Todos foram ouvidos pela prefeitura durante a sindicância, como aponta o Ministério Público. Eles não foram localizados nesta terça-feira pela reportagem do jornal.

ESQUEMA.

De acordo com o MP, o esquema consistia na apresentação de notas fiscais para formalização de entrega e recebimento de pedras para manutenção -- mas o material não era efetivamente entregue. E, nos casos em que havia entrega, era em quantidade inferior à declarada nas notas fiscais.

A Promotoria afirma que, em 2013, um funcionário recebeu ordens para que não realizasse mais medição das cargas recebidas dessa empresa, com consentimento do então secretário. OVALE apurou que o esquema rendia de R$ 30 mil a R$ 40 mil por mês, sendo que ao menos R$ 15 mil eram divididos entre os ex-servidores e o restante ficava com a empresa. Na ação, o MP pede que os denunciados indenizem o município em R$ 900 mil.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO