São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Economia
Julho 06, 2018 - 23:16

Prefeituras esperam novos investimentos após acordo entre Boeing e Embraer

embraer

Embraer. Municípios esperam ampliação dos negócios da Embraer

Foto: /Rogério Marques/OVALE

Prefeituras de São José dos Campos e de Taubaté consideraram positivo o acordo entre a Embraer e a Boeing e ainda esperam surgimento de novas 'oportunidades de negócio'

Xandu [email protected]

Com unidades da Embraer instaladas em seus territórios, as prefeituras de São José dos Campos e de Taubaté consideram positivo o acordo comercial entre a fabricante de aviões e a norte-americana Boeing.

Para as administrações, o acordo, que deve ser fechado até o final de 2019, trará benefícios para as cidades.

"A gente está acompanhando a negociação e eu a vejo com muito bons olhos. É mais um passo importante e isso vai seguir um caminho normal, uma série de formatações e estruturações que estão sendo debatidas", disse Alberto Alves Marques Filho, o "Mano", secretário de Inovação e Desenvolvimento Econômico de São José.

Segundo ele, a Boeing "está vindo para o Brasil e vai se instalar em São José dos Campos", onde a empresa já possui um centro de pesquisa em parceria com a Embraer, instalado no Parque Tecnológico da cidade.

Marques Filho é otimista quanto ao entendimento de que São José será a opção natural para a instalação da sede da joint venture que Embraer e Boeing criarão com o segmento de aviação comercial da fabricante brasileira.

"Essa nova empresa só reforça o caráter de relevância estratégica da importância de São José no mercado aeroespacial sul-americano. A oportunidade de negócios que isso pode gerar é muito produtiva e nós vamos ter que mostrar competência e trabalhar".

Por meio de nota, a Secretaria de Desenvolvimento e Inovação de Taubaté informou que a Embraer mantém, na cidade, um centro de logística para a distribuição de materiais e peças desde 2008.

A respeito do acordo com a americana Boeing, a pasta disse que "não vislumbra impactos diretos na economia do município e avalia o acordo de forma positiva"..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO