São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Economia
Junho 14, 2018 - 01:34

Região tem alta de 40% no volume de produtos importados em 2018

Embraer

Matéria-prima. O setor aeronáutico foi o que mais reduziu importação de produtos no Vale em 2017

Foto: Divulgação

Percentual de participação dos 10 produtos mais importados pela RMVale no total das importações passou dos 49,81% para 66,76%, levando em conta as compras no exterior de janeiro a maio de 2017 e 2018, respectivamente

Xandu [email protected]

Os 10 produtos mais importados pelas indústrias da Região Metropolitana do Vale do Paraíba acumulam alta de 40,91% nas importações nos cinco primeiros meses do ano. Nesse período, as empresas da região compraram US$ 1,58 bilhão no estrangeiro contra US$ 1,12 bilhão adquiridos entre janeiro e maio de 2017, considerando apenas a somatória da cesta dos 10 produtos mais importados.

O percentual de participação desses 10 itens no total das importações da RMVale também cresceu. Passou de 49,81% para 66,76%, levando em conta as importações de janeiro a maio de 2017 e 2018, respectivamente.

O levantamento foi feito com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

No geral, o volume de importações da RMVale cresceu 5,14% no ano, com US$ 2,37 bilhões nos primeiros cinco meses de 2018 contra US$ 2,25 bilhões, no mesmo período do ano passado.

PRODUTOS.

No 'top 10' da cesta de importações, nove produtos aumentaram a compra no exterior neste ano (petróleo, química, peças para veículos, alumínio, produtos de ferro e aço, sangue humano, medicamentos, circuitos integrados e motores e máquinas).

Apenas os itens de telefonia tiveram queda nas importações, de 33,60%.

Os demais produtos desta cesta subiram: 629,6% (produtos de ferro e aço), 81,32% (sangue humano), 78,97% (petróleo), 64,96% (química), 40% (alumínio), 23,82% (veículos), 22,2% (medicamentos), 3,48% (motores) e 1,23% (circuitos integrados).

No ranking geral do Vale do Paraíba, petróleo e derivados foram os produtos mais importados no ano, com US$ 444,6 milhões até maio.

Química vem depois, com US$ 278,2 milhões, seguida de veículos (US$ 190,8 milhões) e telefonia (US$ 141,7 milhões).

QUEDA.

Dentro os itens mais importantes para a produção industrial da RMVale, as peças e partes de avião registraram, pela segunda vez consecutiva, a maior queda no período, com retração de 90,58% de janeiro a maio: US$ 16,3 milhões em 2018 contra US$ 173,2 milhões, no ano passado.

Para Cesar Augusto Teixeira, diretor do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) em São José, algumas áreas estão melhores do que outras. Ele prega um "otimismo realista". "Alguns setores foram bem, mas em São José, por exemplo, a questão da área de aviões em queda preocupa. Estamos com projeção positiva, mas isto está caindo", disse..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO