São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Viver
Maio 07, 2018 - 22:22

Fundo Municipal de Cultura de São José tem 33 projetos aprovados

Da Xepa ao Banquete final

Teatro. Foto da peça 'Da Xepa ao Banquete Final', contemplado no ano passado

Foto: /Reprodução/Facebook

Paula Maria [email protected]

Precisamente 33 projetos levaram os quase R$ 1,3 milhão destinado ao FMC (Fundo Municipal de Cultura), de São José. Foram, ao todo, neste ano, 165 propostas inscritas. Trata-se de um duplo recorde: de inscritos e aprovados.

Serão oito projetos na área de Criação e Temporada em Teatro, Dança, Música e Circo; cinco na área de Criação e Publicação Literária; quatro voltados para temporada artística em Espaço Independentes; e quatro selecionados no edital Primeiras Obras.

Também foram aprovados, três em Cultura Digital; dois em Artes Visuais; três que abordarão Diversidade, Etnia e Gênero; e quatro proponentes levaram a Bolsa de Aprimoramento Técnico-Artístico/Residência Artística.

Os projetos de valores mais altos terão investimentos da ordem de R$ 80 mil ("Feliz Ano Novo", "Nêmesis-Kali" e "Rastro de Ossos"); também R$ 79.970 ("A Trajetória do Desterro"); R$ R$ 76.960 ("Fuá Caipira"); R$ 79.950 ("Camerata de Viola Caipira"); e R$79.920 ("Mambembes - Em Busca da Cidade Ideal"), todos da área de Teatro, Dança, Música e Circo.

Já os de valores mais baixos ficaram em torno de R$ 14.850, ("Manobra da Massa"), de temporada em Espaços Independentes; R$ 14.995,81 ("Corpo Colônia") e R$ 15.000 ("Festivais de violão", "Estudos Teatrales" e "Aperfeiçoamento de uma base mulher"), estes últimos, de Residência Artística.

A titulo de curiosidade, a maioria dos proponentes são da região Central (11); também da região Sul (9), seguido de Leste (5) e Norte (5). A região Oeste contou com um aprovado e a Sudeste, com dois. Tais números, no entanto, não determinam rigorosamente o local de apresentação de cada projeto.

Uma vez que os documentos dos aprovados ainda estão em análise, constam também na lista oficial 32 suplentes, cujas propostas seguem valores similares aos aprovados.

MUDANÇAS.

Além do incremento de R$940 mil em relação ao valor disponibilizado para projetos em 2017 - R$ 400 mil; mudanças na forma de gerir o FMC determinaram a grande quantidade de propostas aprovadas.

A partir desse ano, o trabalho passou a ser pensado em biênios. E, em vez de um único edital de linguagens artísticas, como ocorria no passado, neste primeiro momento foram abertos oito editais.

"E para o próximo ano, repetimos quatro dos editais atuais e teremos outros quatro novos", explicou - na ocasião da apresentação da nova proposta -, Antonio Oliveira, secretário executivo do FMC e do conselho gestor do fundo, formado por pessoas da sociedade civil e do poder executivo, responsáveis pela seleção dos projetos.

Dessa forma, se em 2018 foram abertos os editais citados no início dessa reportagem, para o próximo ano, mantém-se os editais Criação, Primeiras Obras, Literatura e Espaços Independentes; e ganham editais as áreas de Audiovisual, Manifestações Populares, Arquitetura/Design e Interarte (mix de expressões).

seleção.

Também colaborou para o aumento do número de projetos aprovados a ausência de um limite máximo de propostas a serem contempladas. Já o mínimo, varia de acordo com o tema.

"O limite é o valor do edital", disse - também na ocasião - Aldo Zonzini, presidente da FCCR (Fundação Cultural Cassiano Ricardo). Assim, quanto mais projetos com investimentos menores forem inscritos, maior o número de selecionados para o uso do fundo.

NOTAS.

"Os fundos de fomento, como o FMC, são importantes para o setor, pois possibilitam que mais pessoas tenham acesso à cultura, além de incentivarem a criação e a produção cultural", informou, em nota, Anthony Thiago de Aquino Silva, diretor da Cia. Circo e Arte, aprovado com a peça "Hoje tem Marmelada".

"A existência do FMC beneficia diretamente a população, que pode usufruir dos seus resultados", disse, também em nota, Roberval Rodolfo, aprovado no edital voltado a literatura e que pretende lançar a segunda edição do livro "Um grito no Vale - Contos Assombrados".

Os novos editais estarão abertos a partir de julho deste ano, com previsão para novo investimento em 2019, que pode chegar a R$ 1,5 milhão, segundo informações da FCCR..

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO