São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Nossa Região
Maio 11, 2018 - 07:11

Número de prisões e apreensões registra redução no Vale em 2018

Polícia

Polícia

Foto: Divulgação/Polícia Militar

Indicadores de produtividade das forças de segurança pública sofre queda na RMVale, região com a maior taxa de homicídios em todo o território paulista. Foram menos prisões, apreensões de armas e adolescentes infratores

Guilhermo [email protected]

Os principais indicadores de produtividade policial tiveram queda na RMVale no primeiro trimestre de 2018, segundo as estatísticas oficiais da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, apesar da região, que tem o maior índice de homicídios em todo o território paulista, ter reduzido neste período os crimes contra a vida e contra o patrimônio.

De acordo com os dados, de janeiro a março de 2018 comparado ao primeiro trimestre do ano anterior, houve diminuição no número de prisões, de apreensões de adolescentes infratores, de veículos recuperados, apreensão de armas e até mesmo de revistas pessoais.

A própria Secretaria classifica esses dados como índices para a aferição da 'produtividade' da polícia -- quanto mais prisões, maior é a produtividade.

No primeiro trimestre, as forças de segurança pública realizaram 2.290 prisões no Vale do Paraíba, média de 25,4 por dia.

O número é 5,99% inferior ao registrado pela região em 2017, de janeiro a março (2.436).

Em 2018, foram 1.730 pessoas presas em flagrante e ainda 846 no cumprimento de mandados judiciais -- redução de 4,89% e alta de 0,35%, respectivamente, na comparação com o primeiro trimestre do ano passado.

Também houve queda no número de apreensões de adolescentes (-29,58%, passando dos 311 casos para 219).

Os flagrantes tiveram redução de 26% (com 100 adolescentes a menos, de 384 para 284) e os mandados sofreram uma queda de 47,22% (de 108 para 57).

No primeiro trimestre, as revistas pessoais tiveram queda de 14,82% (259.389 para 220.934 -- são mais de 38,4 mil a menos do que em 2018). A apreensão de armas teve uma queda de 6,18%, enquanto a recuperação de veículos caiu 16,79%.

Na contramão, houve aumento no número de ocorrências de prisões por tráfico de drogas (3,79% a mais, passando de 790 para 820) -- neste caso, há um aumento da produtividade no combate às drogas, intensificação no cerco ao tráfico.

POLÍCIA.

No primeiro trimestre do ano, de acordo com o Estado, houve queda nos índices criminais na RMVale -- homicídios (-1,25%), latrocínios (-50%), furtos e roubos de veículo (-5,69% e -12,38% respectivamente), roubos simples (-22,69%), furtos (-14,08%) e roubos de carga (-27,86%).

Ainda assim, o Vale é a região com maior número de assassinatos no interior e taxa de homicídios em SP.

Na avaliação da Polícia Militar, a prioridade é o combate aos crimes violentos.

"Com isso [a queda nos índices], é natural que as prisões em flagrante e outras ocorrências tenham uma redução. A questão da produtividade é algo importante que nós buscamos", diz o comando..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO