São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Economia
Maio 29, 2018 - 02:38

São José e mais quatro cidades decretam estado de emergência e suspendem serviços

Greve dos caminhoneiros

Greve dos caminhoneiros. Paralisação da categoria provoca falta de combustíveis nos postos da região; cinco cidades em 'emergência'

Foto: /Rogério Marques/OVALE

Outros 10 municípios estão na iminência de decretar situação de emergência em razão da falta de combustíveis na RMVale; cidades suspendem aulas e atendimento de secretarias e priorizam serviços de saúde, como Samu

Xandu [email protected]

São José dos Campos e mais quatro municípios da RMVale decretaram situação de emergência após a paralisação dos caminhoneiros, que deixou as cidades sem combustível para manter todos os serviços públicos.

Ao menos outras 10 cidades correm o risco de tomar a mesma medida ainda nesta semana, caso o abastecimento não seja restabelecido.

Com o decreto, as prefeituras podem adquirir bens e contratar serviços de forma emergencial, dispensando a licitação. O dispositivo vale enquanto durar a paralisação dos caminhoneiros.

MUNICÍPIOS.

A primeira cidade a assinar o decreto de emergência foi Guaratinguetá, em 24 de maio, três dias após o início dos protestos. "Temos a preocupação de não interromper os serviços de saúde", disse o prefeito Marcus Soliva (PSB).

No dia seguinte, o prefeito de Cunha, Rolien Garcia (PSB), decretou situação de emergência na cidade e suspendeu as aulas. "Fica priorizado o abastecimento das ambulâncias".

Também na sexta, Felicio Ramuth (PSDB), prefeito de São José, decretou situação de emergência para garantir prioridade, no abastecimento, dos serviços essenciais.

Seguindo a prefeitura, o decreto atendeu especialmente prestadores de serviço na área da saúde, que só podem abastecer prioritariamente com a assinatura do decreto. O governo joseense tem combustível armazenado em três postos de gasolina da cidade.

No último domingo, o prefeito de Caraguatatuba, Aguilar Junior, decretou a situação de emergência no município, em consequência da "falta de combustível para frota municipal e demais insumos necessários para o funcionamento dos serviços essenciais".

Na tarde desta segunda-feira, o prefeito de Ubatuba, Délcio Sato (PSD), assinou o decreto de situação de emergência.

"Estamos tomando todas as providências para que os serviços básicos de atendimento à população sejam afetados o mínimo possível", disse.

Assim como fez a vizinha Caraguá, Ubatuba criou um 'Comitê de Gerenciamento de Crise' para atuar diante do desabastecimento e propor medidas preventivas.

Segundo apurou OVALE, há ainda ao menos 10 cidades que poderão decretar situação de emergência na região caso o abastecimento de combustível não seja retomado.

"A prefeitura ainda não decretou situação emergência, mas pode fazê-lo se a greve continuar", informou Tremembé.

COMBUSTÍVEL.

Após decretar a situação de emergência na cidade, a Prefeitura de Guaratinguetá informou ter conseguido comprar 10 mil litros de combustível para abastecer veículos oficiais, prioritariamente os usados no atendimento da saúde, como ambulância e UTI móvel..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO