São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Nossa Região
Abril 13, 2018 - 22:01

Presos na RMVale sonham com chance no mercado de trabalho

Mãos que libertam

Mãos que libertam. Presas durante trabalho no Centro de Ressocialização Feminino de São José

Foto: /Rogério Marques/OVALE

Detentos da maior unidade de regime semiaberto da América Latina buscam ocupar mente com trabalho no presídio; um deles, que é cabeleireiro dos presos, sonha em abrir salão quando terminar de cumprir pena

Danilo [email protected]_

A realização de um projeto social com a intenção de preparar o cidadão para o mercado de trabalho tem feito diferença na vida de muitos presidiários do Vale do Paraíba. Mais de 2.300 detentos do maior semiaberto da América Latina, o Pemano (Centro de Progressão Penitenciária Doutor Edgar Magalhães Noronha), em Tremembé, participam da 4ª Jornada de Cidadania e Empregabilidade dentro do complexo.

O evento realizado no local é marcado por diversas atividades culturais e profissionalizantes, sempre em busca da ressocialização.

"O foco desse trabalho é formar um verdadeiro cidadão, dando suporte tanto na parte social quanto na espiritual deles, o que ajuda muito na reintegração dos presos", disse o coordenador da Jornada da Cidadania e Empregabilidade, George Khuriyeh, em entrevista ao OVALE.

LIBERDADE.

De Taubaté, o detento Charles Henrique de Oliveira não esconde a felicidade após conseguir sua primeira saída temporária, benefício concedido pela Justiça a presos que apresentam bom comportamento e que cumprem pena no regime semiaberto, quando podem trabalhar de dia e voltar para dormir no presídio à noite.

"Não estou nem me aguentando de emoção. Passei a dar valor às coisas mais simples. Inevitavelmente, aqui você amadurece. Não vejo a hora de dar um abraço no meu filho", disse.

PROFISSÃO.

Cabeleireiro dos presos, o detento Jailton Moreira da Silva Júnior, 38 anos, sonha em abrir seu próprio salão quando conquistar a liberdade definitiva. Mais uma maneira de se manter bem longe da criminalidade.

"Dediquei o tempo que estou aqui trabalhando e com isso ocupei minha mente de forma produtiva", afirmou Júnior.

Confira o nosso 'Documento OVALE' dessa semana:

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO