São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Abril 09, 2018 - 23:26

Sindicância sobre agressão no Barreiro é suspensa por 30 dias em Taubaté

Servidores da prefeitura agridem morador no Barreiro

Flagrante. Servidores da prefeitura agridem morador no Barreiro

Foto: Reprodução

Um dos servidores que integram a comissão permanente de sindicância da Secretaria de Segurança vai ficar de férias entre os dias 3 de abril e 3 de maio; essa já é a segunda suspensão do prazo pelo mesmo motivo

Da redaçã[email protected]

A Prefeitura de Taubaté suspendeu por 30 dias o prazo para conclusão da sindicância interna que investiga a conduta de dois servidores da Secretaria de Segurança que agrediram um casal de moradores durante a desocupação de um imóvel em fevereiro, no Barreiro.

O motivo: um dos servidores que integram a comissão permanente de sindicância da pasta ficará de férias entre os dias 3 de abril e 3 de maio.

Essa foi a segunda suspensão do prazo pelo mesmo motivo. A primeira ocorreu de 12 a 21 de março.

Iniciada em 9 de fevereiro, a investigação tinha prazo inicial de conclusão de 60 dias. Com os 40 dias de suspensão, esse intervalo chegará a 100 dias.

No dia 6 de fevereiro, dois servidores da secretaria -- Jarbas Nogueira Martins, gestor da área de Segurança e Vigilância, e Vinicius Libanori Summa, que ocupa função de chefia na mesma pasta - agrediram um casal durante a desocupação de um imóvel no conjunto habitacional Sérgio Lucchiari, no Barreiro. O caso foi registrado em vídeo pelas vítimas. Apesar da gravidade do caso, a dupla segue trabalhando normalmente durante o decorrer da sindicância.

A desocupação faz parte de uma operação iniciada pela prefeitura em dois conjuntos habitacionais do Barreiro - além do Sérgio Lucchiari, a ação também é feita no Benedito Capelleto. O episódio da agressão e da desocupação sem decisão judicial é investigado pelo Ministério Público Estadual. Já possíveis irregularidades na destinação dos imóveis desocupados são apuradas pelo Ministério Público Federal..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO