São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Nossa Região
Abril 15, 2018 - 12:45

Após 'lavar as mãos', Felicio recebe recomendação do MP para barrar corte de árvores na Tívoli

Grupo Marcondes César quer construir um estacionamento no local onde, atualmente, são abrigadas 430 árvores

Grupo Marcondes César quer construir um estacionamento no local onde, atualmente, são abrigadas 430 árvores

Foto: Divulgação

Em documento, promotor pede que a prefeitura não autorize o corte até que sejam realizados todos os estudos necessários

Da Redaçã[email protected]

Após 'lavar as mãos' sobre o caso do Bosque da Tívoli, em São José dos Campos, o prefeito Felicio Ramuth (PSDB) recebeu, na última sexta-feira (13), um documento do Ministério Público que recomenda que ele não autorize o corte das árvores. A decisão coloca o tucano contra a parede, após alegar diversas vezes que a prefeitura nada podia fazer.

No documento, o promotor de Habitação e Urbanismo e do Meio Ambiente, Gustavo Médici, pede que a prefeitura não dê a autorização para o corte de 430 árvores, até que sejam feitos todos os estudos.

"Recomenda-se que a Prefeitura Municipal de São José dos Campos não autorize intervenção no terreno objeto destes autos até que estejam completos todos os estudos necessários à perfeita avaliação ambiental da área em questão", diz um trecho do documento.

No mês passado, o MP solicitou explicações da prefeitura sobre o aval dado para os cortes das árvores na Vila Betânia. O prazo para que o Executivo enviasse as respostas era 5 de abril - o que não foi cumprido. A prefeitura encaminhou a resposta apenas na última quarta-feira (11), seis dias depois do prazo.

COMAM.

Na última quinta-feira (12), o Comam (Conselho Municipal de Meio Ambiente) de São José dos Campos se reuniu pela primeira vez para avaliar o corte das árvores do Bosque da Tívoli. A reunião da câmara técnica criada pelo Conselho, no entanto, terminou sem avanços. Isso porque os membros não dispuseram da documentação para fazer os estudos.

O CASO.

O Grupo Marcondes César quer construir um estacionamento com 172 vagas no local. Para isso, contudo, o Grupo espera a decisão favorável para realizar o corte das 430 árvores no Bosque da Vila Betânia. A área de 8,6 mil metros quadrados é defendida com 'unhas e dentes' pelos moradores, contrários ao corte.

MANIFESTAÇÃO.

Na manhã deste domingo (15), moradores do bairro Vila Bêtania e que defendem a preservação do Bosque se reuniram em frente ao local para se manifestarem contra o corte das árvores. O grupo de pelo menos 50 pessoas protestaram com cartazes e distribuíram panfletos em defesa ao Bosque.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO