São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Março 12, 2018 - 22:29

Em meio a polêmica, Ortiz quer caixa-preta de ganhadores de imóveis

Conjuntos habitacionais no Barreiro

Zona de guerra. Conjuntos habitacionais no Barreiro são alvo de operação da prefeitura desde janeiro

Foto: /Rogério Marques

Tucano entra com ação no Tribunal de Justiça para tentar derrubar lei que obriga prefeitura a divulgar lista dos moradores contemplados em programas habitacionais

Julio [email protected]

Em meio à polêmica envolvendo a operação da prefeitura em conjuntos habitacionais do Barreiro, que já despejou entre 80 e 100 famílias desde janeiro, o governo Ortiz Junior (PSDB) tenta derrubar na Justiça a lei municipal que obriga a divulgação da lista de moradores contemplados com moradias.

De autoria de Pollyana Gama (PPS), que hoje é deputada federal, a lei foi criada em 2015 e prevê que essa lista seja divulgada no site da prefeitura e no diário oficial.

No dia 8 de fevereiro, o prefeito ingressou com uma Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) contra a lei no Tribunal de Justiça. Essa ação foi proposta 25 dias após o início da operação no Barreiro e pelo menos 11 dias depois de a gestão tucana decidir que os imóveis cujos moradores foram despejados serão ocupados por guardas municipais e policiais militares e civis.

Na ação, Ortiz diz que a lei é inconstitucional, pois a Câmara não pode criar obrigações para a prefeitura. O caso será julgado pelo Órgão Especial do TJ, que é composto por 25 desembargadores.

No dia 9 de fevereiro, o relator da ação, Péricles Piza, negou a liminar que poderia suspender o efeito da lei enquanto o mérito não é julgado. "A lei objurgada está em nosso ordenamento jurídico desde 2015, em outras palavras, possui vigência há mais de dois anos. Não há se falar, portanto, em receio de que a demora do julgamento acarrete dano grave ou de difícil reparação à ordem pública", escreveu.

OPERAÇÃO.

Com a lei ainda em vigor, o governo Ortiz deveria divulgar a lista dos novos moradores dos apartamentos desocupados no Barreiro.

A reportagem questionou a gestão tucana sobre quando isso irá ocorrer, mas não houve resposta. A administração do PSDB não informou também por que só ingressou com a ação agora, após mais de dois anos da lei em vigor.

A operação do Barreiro é investigada pelo Ministério Público Estadual e pelo Ministério Público Federal, e está sendo alvo de diversos questionamentos. Um deles é o fato de os despejos estarem sendo feitos sem o devido processo legal. Outro é a prefeitura ter decidido colocar agentes de segurança nas casas, furando a fila da habitação.

Ortiz diz que os moradores retirados das casas têm ligação com o tráfico, mas as famílias dizem que foram expulsas sob a alegação de que teriam alugado os imóveis..

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO