São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Fevereiro 02, 2018 - 23:24

Reajuste a secretários pode esbarrar em pré-candidatos de São José

Felicio

Pauta. Projeto prevê aumentar salário de secretários para R$ 13.369,32

Foto: /Flávio Pereira/CMSJC

De olho em ter seus nomes aprovados nas urnas, vereadores de São José preveem desgaste na votação do projeto que aumenta em 19% o salário de secretários e podem rejeitar proposta

Hernane Lé[email protected]
São José dos Campos

O projeto que aumenta em 19% o salário da equipe de secretários do prefeito Felicio Ramuth (PSDB), apresentado pela Mesa Diretora da Câmara na sessão da última quinta-feira (1º), pode enfrentar resistência de vereadores da base do governo que almejam emplacar uma candidatura a deputado.

Parlamentares avaliam que o momento é de evitar desgastes, uma vez que já houve repercussão negativa com os reajustes da taxa do lixo e IPTU.

O pedido de aumento foi costurado pelo governo na última reunião de bancada realizada no mesmo dia da sessão. À ocasião, o secretário de Governança, Anderson Farias, apresentou dados sobre a economia gerada com a redução de secretarias promovida por Felício e um comparativo de salários de secretários em outras cidades.

O argumento não convenceu o vereador Lino Bispo (PR), integrante da base do governo e pré-candidato a deputado estadual."Esse aumento para recuperar as perdas do passado não é correto. Impacta de uma forma pesada. Vou votar contra", disse o vereador.

Fernando Petiti (PSDB), que é favorável ao projeto, considera natural o desgaste. "É um desgaste que pode acontecer com o político", afirmou o tucano, também pré-candidato a deputado. Em São José, ao menos 10 vereadores se articulam para concorrer nas eleições de outubro.

"Vai ser uma votação de desgaste, mas na vida pública tem que estar preparado", disse Marcão da Academia (PTB).

Renata Paiva (PSD) é um dos nomes que pode surgir nas urnas, mas que não apareceu no projeto. OVALE tentou contato com ela, mas seu celular estava desligado."É uma preocupação política. O reajuste é uma compensação desde a última correção, em 2015. Com oito secretários a menos, economizamos R$ 1,9 milhão", explicou o secretário de Governança, Anderson Faria..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO