São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Janeiro 03, 2018 - 23:03

Soliva irá licitar transporte coletivo e terceirizar saúde em Guará

Marcus Soliva (PSB), prefeito de Guaratinguetá

Economia. Marcus Soliva (PSB) afirma ter 'enxugado' as despesas

Foto: /Xandu Alves

Prefeito prevê lançar licitação do transporte no primeiro semestre e terceirizar gestão do pronto-socorro; também quer regularizar bairros, asfaltar cidade e abrir escolas

Xandu [email protected]

Aos 57 anos e prestes a ser pai pela terceira vez, Marcus Soliva (PSB), prefeito de Guaratinguetá, garante que fará a licitação do transporte coletivo em 2018. O sistema opera de forma precária sem contrato desde 2013.

"Tentativas dos governos anteriores esbarraram em legislação ultrapassada. As leis foram unificadas", diz ele, que prevê lançar o edital ainda no primeiro semestre.

Outra batalha será a terceirização da saúde, cujo primeiro round foi perdido na Câmara. "Partimos para o plano B, que é a terceirização por pessoa jurídica ou entidades filantrópicas".

Soliva recebeu OVALE para uma entrevista sobre seu primeiro ano de governo.

Haverá licitação no transporte coletivo?

Tentativas dos governos anteriores esbarraram em legislação ultrapassada. As leis foram unificadas. Também fizemos audiência pública e o processo está em fase de aprovação na Câmara. Iremos fazer o Plano de Mobilidade Urbana, que deve demorar três meses, e depois a licitação ainda no primeiro semestre de 2018.

Na área de saúde, quais são os gargalos?

Pronto-socorro lotado, postos de saúde deteriorados, AME com falta de pessoal. Colocamos em funcionamento o sistema Cross, para agendamento diário de consulta, que acabou com a vergonha da fila da madrugada. Saímos de 92 mil procedimentos em 2016 para mais de 160 mil.

A Câmara vetou OS para gerir o pronto-socorro. O que fará?

Próximo passo é entrar com licitação para terceirizar o PS, o plano B, que é a terceirização por pessoa jurídica ou entidades filantrópicas. É preciso fazer isso para ampliar o serviço.

Qual avaliação deste 1º ano de mandato?

Praticando a zeladoria em seis meses, reduzimos contratos de prestadores de serviços terceirizados, horas extras e aluguéis. Despesa operacional caiu R$ 30 milhões, 10% do orçamento. Fechamos todos os pagamentos em dia e temos reserva para investir.

O que farão?

Iniciamos a pavimentação da área urbana. A meta é fazer 80 km em quatro anos, média de 20 km por ano. O município tem 130 km de ruas não pavimentadas. Vamos regularizar 15 dos 45 bairros irregulares da cidade. Investiremos R$ 2 milhões em iluminação pública, com mais 2.000 braços de luz. Já implantamos a atividade delegada e agora virá o sistema de monitoramento por câmeras, com o COI (Centro de Operação Integrada). Vamos investir R$ 1,6 milhão com até 50 câmeras. Devemos anunciar no primeiro trimestre.

E na educação?

É a base da construção da cidade. Aumentamos os pisos salariais dos professores, iremos construir novas escolas e creches. Uma escola para 2.000 alunos será entregue na região do Jardim do Vale. Há quatro creches para serem entregues em 2018 e seis escolas e quatro creches sendo reformadas. Estamos negociando a vinda de uma unidade da Unitau com ensino à distância e depois uma Faculdade de Medicina.

E o dinheiro para investir?

Teremos R$ 337 milhões de orçamento em 2018, crescimento de 10%. Teremos regularização da metragem do IPTU e na aplicação de multas, o que aumentará o orçamento do município..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO