São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Nossa Região
Janeiro 17, 2018 - 08:18

Área de risco, RMVale tem reforço na 'guerra' contra a febre amarela

Febre. Objetivo é evitar o risco de alastramento da doença

Febre. Objetivo é evitar o risco de alastramento da doença

Foto: /Alex Brito/PMJ

Estado anuncia antecipação do 'Dia D' contra o vírus e amplia meta de vacinação para o Vale do Paraíba, região que concentra 37 das 54 cidades mais suscetíveis à doença em S. Paulo. Objetivo é imunizar 2 milhões de pessoas

Julia [email protected]

Classificada como uma área de risco, a RMVale concentra cerca de 70% das cidades paulistas mais ameaçadas pelo vírus da febre amarela. A região reúne 37 dos 54 municípios que estão no alvo do 'Dia D', a ofensiva contra a doença em São Paulo -- estado considerado, de acordo com informe divulgado nesta terça-feira, uma área de risco pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

O governo, depois do alerta da OMS, anunciou a antecipação da campanha e reforço da vacinação -- no Vale, a meta passou de 1,2 milhão para 2 milhões de pessoas, o que representa mais de 80% de toda a população da região.

A definição das 54 cidades do 'Dia D', de acordo com o Estado, foi 'técnica' e priorizou as áreas com maior risco de contaminação. No geral, a meta é vacinar 8,3 milhões de pessoas em São Paulo. O início será em 29 de janeiro. Haverá 'Dias D' também em 3 e 17 de fevereiro.

"A escolha das áreas prioritárias é técnica, são os chamados corredores, as pessoas mais susceptíveis à febre amarela silvestre", disse o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

A OMS informou que considera São Paulo uma área de risco devido ao crescimento do nível de atividade do vírus no território paulista desde o final de 2017.

ALERTA.

Os municípios do Vale com o maior número de vacinas previstas na campanha são: São José (566.323), Taubaté (253 mil), Jacareí (198.278), Pindamonhangaba (138.567), Guarátinguetá (93.274) e Caraguatatuba (89.603). O Vale está na lista das zonas prioritárias porque têm 'corredores', ou seja, zonas residenciais perto de matas e onde a doença apareceu.

"Os corredores ecológicos são previsões para saber de onde saíram os vírus, baseado na geografia do local, e qual a direção esse vírus irá percorrer. Nós temos grandes corredores ecológicos na região, o mosquito transmissor vive na mata, por isso é preciso precaução", afirma Tereza Cardozo, coordenadora da vigilância epidemiológica de São José..

Estado antecipa campanha e quer triplicar número de pessoas imunizadas em São Paulo

O governo do Estado de São Paulo antecipou para o próximo dia 29 o início do uso de vacinas fracionadas - dose com um quinto da quantidade padrão - contra a febre amarela. A campanha estava prevista para começar no dia 3 de fevereiro.

Também será feito o aumento da meta de pessoas a serem imunizadas. Na região, o numero passou de 1,2 milhão para 2 milhões, com maior atenção às áreas onde as pessoas estão mais susceptíveis à febre amarela silvestre. "Decidimos antecipar e a ampliar a campanha de vacinação para proteger a população contra a febre amarela. Pessoas ainda não vacinadas e que residem em locais onde ainda não há circulação do vírus receberão a dose fracionada, que é segura e tem eficácia comprovada. Em 15 dias de campanha, queremos triplicar o número de pessoas vacinadas no Estado de São Paulo", destacou ontem o secretário de Estado da Saúde, David Uip.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO