São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Viver
Dezembro 06, 2017 - 23:12

Sete anos depois e proibido para menores, série de terror 'Jogos Mortais' volta aos cinemas

Jogos mortais

Jogos mortais

Foto: Divulgação

Paula Maria [email protected]

Mais sádico e violento do que os longas anteriores, "Jogos Mortais: Jigsaw", que estreia nesta quinta-feira (7) nos cinemas da região, recebeu no Brasil classificação indicativa 18 anos.

O filme atual chega às telonas 13 anos após o primeiro longa ("Jogos Mortais", de 2005) e sete anos depois do último ("Jogos Mortais - O Final", de 2010). Conhecida como a maior franquia de terror da atualidade, esta entrou no Guiness World Records, com US$874 milhões de dólares arrecadados em bilheterias no mundo todo.

Na trama, mortes horrorosas assombram as cidades e atormentam a vida das pessoas. Por trás delas, árduas lições de moral. Ou seja, para ficar longe das armadilhas do assassino - John Kramer, o Jigsaw -, a melhor saída é ficar longe, ao menos, dos pecados capitais.

TRama.

No novo filme, após a morte do criminoso, brutais assassinatos voltam a ocorrer. Todas as investigações apontam para um só caminho... Mas afinal, Jigsaw morreu ou não?

"O motivo pelo qual Jigsaw tornou-se um ícone é porque ele não é um esfaqueador. Ele não mata, não consegue o que quer pela força, não vai atrás de uma garota no chuveiro, não faz o que todos gritam nos cinemas: 'ele está atrás de você!'. Ele é inteligente, um engenheiro. Ele faz você se perguntar: é o protagonista ou o antagonista? Quando falamos em estrutura de filme, ele é o herói ou o vilão?", questiona o produtor Oren Koules, em vídeo enviado à imprensa.

"Desde o começo, Kramer é um mágico. O que você vê nem sempre é o que você recebe. Está na sua frente, mas, depois, some", continuou Tobin Bell, ator que vive Jigsaw. "Acho que participei de todos os filmes e ainda fico fascinado pela forma com a qual eles usam o tempo para deixar a história mais complexa".

Com roteiro de Josh Stolberg e Peter Goldfinger, a direção ficou por conta dos irmãos Michael e Peter Spierig. No exterior, onde estreou em outubro, o filme debutou em primeiro lugar à frente de outras estreias. Apenas no mercado norte-americano, ele acumula US$ 16,25 milhões em bilheteria.

Ação.

Para garantir a visibilidade do lançamento, na pré-estreia, o icônico boneco Billy - usado pelo assassino para assustar suas vítimas - fez um tour pelo Brasil para divulgar o novo filme. Ele participou de eventos e visitou pontos turísticos de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO