São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Economia
Dezembro 27, 2017 - 00:59

Boeing e Embraer pretedem criar bloco comercial global de aviação

Embraer

Bloco multinacional. Funcionários da Embraer durante apresentação do novo jato da empresa em 2017

Foto: /Rogério Marques/ Arquivo OVALE

Associação de fabricantes criaria bloco Estados Unidos/Brasil no comércio mundial de aviões, rivalizando com blocos China/Ásia e Europa/Canadá -- este formado depois da união entre a Airbus e a canadense Bombardier

Xandu [email protected]

A negociação para cooperação comercial entre as empresas Boeing e Embraer ou uma proposta de aquisição por parte da companhia americana traz um componente geopolítico que dá ao negócio amplitude mundial.

É uma maneira de a Boeing, que lidera a fabricação de aviões comerciais ao lado do consórcio europeu Airbus, fazer frente à investida da concorrente no mercado de aviação regional, este liderado pela Embraer.

Em 2017, a Airbus comprou fatia majoritária do programa de aeronaves C Series da canadense Bombardier, principal concorrente da Embraer.

Com isso, o mercado mundial de aviação se dividiria em três grandes blocos: Europa/Canadá, China/Ásia e Estados Unidos/Brasil.

Juntas, segundo analistas, Embraer e Boeing teriam potencial de liderar as vendas tanto no segmento de grandes aeronaves, especialidade da Boeing, como no de jatos comerciais médios e pequenos, onde atua a Embraer.

Ozires Silva, fundador e ex-presidente da Embraer, tornou-se um defensor da parceria com a Boeing. Ele disse que foi consultado pela direção da fabricante sobre uma eventual cooperação comercial com os americanos.

"Não tem como concorrer com o mercado europeu. Mesmo o governo brasileiro apoiando a Embraer, a diferença é muito grande para o mercado europeu", declarou Ozires a OVALE.

Parceria aumentaria o mercado mundial para KC-390, cargueiro militar brasileiro

O cargueiro militar em desenvolvimento pela Embraer, o KC-390, pode ser beneficiado com uma associação com a Boeing, que já é parceria do projeto. Além de peças, a americana entra no marketing e nas vendas do novo avião. Para analistas, o KC-390 pode se beneficiar da capilaridade da Boeing no mundo, aumentando suas vendas..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO