São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Brasil
Dezembro 27, 2017 - 23:17

Putin vai pessoalmente se inscrever como candidato

Putin recebe o presidente do Cazaquistão Nursultan Nazarbayev

Candidato. Putin recebeu ontem o presidente do Cazaquistão

Foto: Kremlin

Pela terceira vez, ele vai participar das eleições como candidato independente, assim como fez em 2000 e 2004; em 2008, se candidatou ao cargo pelo partido 'Rússia Unida'

Da Agência [email protected]

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, foi pessoalmente nesta quarta-feira à sede da Comissão Eleitoral Central para inscrever sua candidatura às eleições de março de 2018, quando tentará a reeleição. A informação é da Agência EFE. Putin, de 65 anos, apresentou à comissão os documentos necessários para iniciar a coleta das 300 mil assinaturas exigidas para registrar formalmente a candidatura, já que vai às eleições como candidato independente.

Entre outros documentos, o presidente deve entregar a solicitação da iniciativa popular que apoia sua candidatura, documentos que confirmem seus dados biográficos e informações sobre renda, despesas, contas bancárias e outros ativos. Caso a comissão dê sinal verde aos seus documentos, após análise que deve sair em cinco dias, o chefe do Kremlin poderá iniciar oficialmente a campanha.

Esta é a terceira vez que Putin participa das eleições presidenciais como candidato independente, após os anos de 2000 e 2004. Em 2008, ele concorreu pelo partido Rússia Unida.

Ao anunciar seus planos, o presidente russo afirmou que espera contar com os partidos políticos que compartilham sua visão. Putin recebeu, nas duas últimas semanas, o apoio do Rússia Unida, do partido social-democrata Rússia Justa e dos Verdes.

Ele pediu que nada do que foi planejado pelo Kremlin seja mudado. "Caso contrário, teremos que começar do zero mais uma vez", disse. O presidente ressaltou que a Rússia tem a "obrigação" de defender a "estabilidade" na sociedade.

Segundo os analistas, Putin será reeleito com mais de dois terços dos votos, o que lhe permitirá permanecer no Kremlin até 2024..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO