São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Novembro 13, 2017 - 23:45

Contratação de corretor ligado a secretário está na mira da Câmara de Jacareí

Rodrigo

Contratação. Rodrigo Salomon (PSDB) pede explicações sobre o Saae

Foto: /Divulgação/CMJ

Vereador tucano apresentou pedido, aprovado pelo plenário, de explicações sobre processo de contratação de serviço de avaliação imobiliária da Amagai Imóveis, que pertence ao secretário de Desenvolvimento Econômico

Hernane Lélis@hernanelelis
Jacareí

A contratação de um corretor de imóveis que trabalha na imobiliária do secretário de Desenvolvimento Econômico de Jacareí, Carlos Amagai, pelo Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) entrou na mira da Câmara. A autarquia, por meio do prefeito Izaias Santana (PSDB), terá que prestar esclarecimentos sobre o processo que subsidiou a prestação do serviço de corretagem.

O pedido de explicação foi apresentado pelo vereador Rodrigo Salomon (PSDB), líder tucano no Legislativo, e aprovado por unanimidade pelo plenário na última quarta-feira (8). Agora, a prefeitura tem 15 dias corridos, a partir da data de notificação, para responder aos questionamentos, que inclui cópia do processo de contratação dos serviços de avaliação imobiliária entre junho e agosto.

"Vamos dar o direito de se defenderem, explicar os quesitos que solicitamos. Não dá para falar em CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) sem dar o direito deles se explicarem", disse Rodrigo Salomon. No pedido de informações aprovado pelo Plenário, o vereador pede também a lista de todas as contratações diretas realizadas pelo Saae neste ano e dos prestadores de serviço. As contratações de corretagem de imóveis feitas pela prefeitura também entraram na lista de pedidos.

Entenda o caso.

O Saae de Jacareí contratou um corretor da Amagai Imóveis para avaliar prédios que podem servir como sede da empresa. A autarquia pagou R$ 6.800 ao profissional. O caso foi revelado por OVALE na edição do dia 30 de outubro. À ocasião, prefeito Izaias afirmou que o corretor não poderia ter sido contratado, "embora não haja qualquer impedimento legal, essa não é a conduta moral. Vou determinar a apuração da responsabilidade pela escolha e o servidor responsável deverá suportar o pagamento pelo serviço"..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO