São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Novembro 03, 2017 - 22:57

Transparência segue desfalcada e auditorias paralisadas em Jacareí

Transparência

Baixa. Seis meses após apresentação, equipe deixou o governo Izaias

Foto: /Luiz Cepinho/PMJ

Um mês após desmonte, governo Izaias Santana (PSDB) ainda precisa preencher cargos na Diretoria de Transparência

Hernane Lélis@hernanelelis
JACAREÍ

Pouco mais de um mês após o desmonte da Diretoria de Governança e Transparência do governo Izaias Santana (PSDB), em Jacareí, o setor ainda continua desfalcado. A divisão, responsável por denunciar o suposto desvio de R$ 1,2 milhão na Fundação Pró-Lar, está sem divulgar nenhum relatório de auditoria, nem mesmo as que foram finalizadas tiveram o resultado publicado pela administração.

A prefeitura ainda precisa preencher o principal cargo do setor, que é o de diretor, e outras duas funções de assessor técnico. Enquanto isso não acontece, segundo a própria administração, todas as auditorias estão paralisadas. "Serão retomadas e, posteriormente, finalizadas e divulgadas a partir da data que os postos vagos forem preenchidos", disse em nota a Secretaria de Governo.

A pasta ressaltou que as vagas de diretor e assessor técnico serão preenchidas em breve.

Quando os ex-integrantes da diretoria pediram exoneração alegando problemas para o desenvolvimento de suas atividades, fato negado pela prefeitura, eles afirmaram em entrevista a OVALE que duas auditorias, uma relacionada à merenda escolar e outra às obras do córrego do Turi, estavam em fase final de conclusão. "Saíram da fase de sigilo, aguardando apenas a elaboração do relatório", disse Vitor Carlini, ex-diretor.

DIVULGAÇÃO.

Uma terceira auditoria concluída em junho, a qual OVALE teve acesso, não foi divulgada. A diretoria encontrou irregularidades na compra de uma central telefônica na Secretaria de Educação. Os serviços seriam prestados por duas empresas, com dispensa de licitação, ao custo de R$ 15.428,16. Uma delas, inclusive, responde inquérito no processo da Pró-Lar. A denúncia barrou a contratação."O relatório não foi divulgado por ter sido enviado à Procuradoria para dar parecer sobre alguns conceitos jurídicos apresentados", disse a prefeitura..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO