São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Nossa Região
Novembro 15, 2017 - 00:18

BRT: Felicio aguarda retorno da União três meses após ida a Brasília

BRT Rio

Modal. BRT já virou realidade em capitais, como o Rio de Janeiro

Foto: Divulgação 

Três meses após prefeito de São José dos Campos, Felicio Ramuth (PSDB), ir à capital para discutir o projeto do BRT (Transporte Rápido por Ônibus), tema é incógnita no Paço; tucano espera retorno do governo federal

João Paulo Sardinha@jpsardinha
São José dos Campos

Três meses após o prefeito Felicio Ramuth (PSDB) ir a Brasília, para discutir o projeto BRT (Transporte Rápido por Ônibus), a Prefeitura de São José dos Campos ainda não definiu que rumos a obra vai tomar em 2018.

O empreendimento, financiado pela Caixa Econômica Federal, é o mais caro previsto para o município nos próximos anos: R$ 840 milhões.

O projeto original, elaborado na gestão Carlinhos Almeida (PT), recebeu vários apontamentos do atual governo, que agora discute no Ministério das Cidades alterações na proposta. Até o momento, entretanto, nada foi definido sobre o modal.

De acordo com a Secretaria de Mobilidade, o projeto do BRT "ainda está em análise pela equipe técnica do Ministério das Cidades".

INVESTIMENTO.

Nos próximos quatro anos, o governo Felicio Ramuth prevê investir no projeto de mobilidade urbana apenas 32,7% dos R$ 840 milhões da obra.

A informação consta no PPA (Plano Plurianual) 2018-2021, entregue pela atual administração à Câmara Municipal. O Paço estima utilizar R$ 275,263 milhões para a construção do BRT na cidade.

Desse montante, R$ 45,414 milhões seriam utilizados no próximo ano. Em 2019, haveria mais 143,709 milhões para o projeto. Já em 2020, a previsão é de 86,140 milhões. Para 2021, não há previsão de valores para o projeto.

O cronograma inicial indicava que as obras do modal seriam integralmente concluídas em quatro anos, com os primeiros trechos prontos depois de dois anos.

O governo Felicio Ramuth atribui a redução na estimativa de verba à negociação no Ministério das Cidades. Porém, não há prazo para que o governo federal se manifeste sobre o futuro do projeto de mobilidade..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO