São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Brasil
Outubro 11, 2017 - 20:38

Sobrevivente do massacre de Las Vegas processa hotel onde estava o atirador

Tiroteio em Las Vegas

Las Vegas. Depois do massacre, o atirador teria cometido suicídio

Foto: Divulgação

Agência EFE

Uma jovem sobrevivente das quase 500 pessoas que ficaram feridas durante o tiroteio ocorrido no dia 1º de outubro em Las Vegas, nos Estados Unidos, deu entrada nesta quarta-feira (11) no primeiro processo contra a MGM Mandalay Corp, empresa matriz do hotel Mandalay Bay, de onde o atirador Stephen Paddock abriu fogo. 

O processo está no nome de Paige Gasper, de 21 anos, segundo o documento da Corte do Distrito do Condado de Clark, em Nevada, no qual também constam os nomes da empresa organizadora de espetáculos Live Nation Entertainment e de Paddock, autor do tiroteio. Também é citada a Slide Fire Solutions, empresa que fabrica acessórios para que uma arma semiautomática dispare com a mesma velocidade e intensidade que uma arma automática.

O documento indica, entre outras coisas, que o hotel Mandalay Bay foi "negligente" ao não notar todas as armas que Paddock tinha no quarto e que não fez nada quando o hóspede quebrou as janelas.

Paige Gasper, natural do Texas e residente na cidade californiana de Wheatland, sofreu ferimentos no peito e já passou por diversas cirurgias, segundo indica a conta de financiamento coletivo Gofundme criada em seu nome. Nathan Morris, um advogado de Las Vegas especializado em danos pessoais e processos coletivos, é um dos representantes legais da jovem, que pede uma compensação de US$ 15 mil - segundo a imprensa - para cobrir as despesas de sua hospitalização.

"Paige ama Las Vegas e foi ao show esperando passar um tempo maravilhoso, como está acostumada a ter aqui na nossa cidade", declarou Morris, segundo o Review Journal. "Ela quer que tomemos medidas para lidar com os erros de segurança que ocorreram e acreditamos que, através desta ação, podemos fazer com que Las Vegas seja tão segura como deveria ser, para que continue sendo o destino mundial que sabemos que é", destacou o advogado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO