São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Editorial
Setembro 11, 2017 - 23:29

VERDE PARA IMPUNIDADE

Após atropelar e matar quatro jovens, motorista é detido pela PM, ouvido pela Polícia Civil e depois acaba liberado


Sinal verde para a impunidade. Caminho liberado, escancarado para a sensação que há muito tempo faz, infelizmente, parte do sentimento do que é ser brasileiro. Após ter sido localizado por policiais militares na capital paulista, o motorista Matheus Sousa, de 19 anos, o responsável pelo atropelamento e morte brutal de quatro jovens em São José na madrugada de quinta-feira, foi ouvido pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais) e liberado na noite desta segunda-feira. Sim, acredite. Ele foi liberado.

Sim, era o mesmo motorista que guiava a caminhonete Fiat Toro vermelha, aquele veículo que violentamente avançou contra um grupo de pessoas na rodovia Geraldo Scavone, com uma violência desproporcional, absurda.Uma tragédia tão brutal que chocou todo o Vale do Paraíba.

As cenas, captadas por uma câmera de vigilância do COI (Centro de Operações Integradas), são chocantes -- OVALE, apesar de ter sido o primeiro veículo a receber o vídeo, foi o único a exibi-lo retirando dele o momento do impacto, por considerar a imagem violenta e chocante demais.

Nas imagens, um homem que havia caído da moto no local e várias pessoas que pararam para ajudá-lo, para prestar socorro. De repente, as pessoas percebem a aproximação da caminhonete, que não faz a menor menção de frear.

As vítimas são atingidas em cheio, sem a menor chance de sobrevivência. O motorista foge sem prestar socorro, deixando quatro jovens mortos no asfalto. E poderiam ter sido mais, pois algumas pessoas conseguiram escapar por um triz do atropelamento.

A defesa de Matheus alegou à polícia que ele não percebeu a presença das vítimas no meio da rodovia, em razão da neblina. Se a visibilidade era assim tão ruim, como tantas pessoas viram, conseguiram enxergar o motoqueiro acidentado e pararam para ajudá-lo?

Como escapou do flagrante e a polícia não pediu à Justiça a prisão temporária, o motorista foi ouvido nesta segunda-feira e depois liberado. 'Ele só poderia ser preso pelo crime se fosse decretada prisão temporária ou preventiva, o que não é o caso', disse o delegado da DIG, Darci Ribeiro, responsável pelo caso.

Lamentavelmente, a legislação brasileira há muito já não é capaz de dar à sociedade as respostas que ela precisa.

O sinal está verde, livre, para a impunidade no Brasil..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO