São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Ideias
Setembro 06, 2017 - 00:16

DESCER DEGRAUS ATÉ ONDE?

Marco Aurélio de Souza Formado em Ciências Sociais e pós-graduado em espiritualidade

Pelos acontecimentos últimos e outros já ocorridos, tenho para mim que o morador de rua já passou por três fases: Na primeira era considerado um excluído. Uma pessoa cujas oportunidades não lhe bateram a porta ou se esvaíram de suas mãos, por diversos motivos. A sociedade, em sua maioria, ao deparar-se com esta realidade, era movida a enxergá-los sob o olhar da misericórdia. Desta forma, muitos se organizavam para buscar diminuir este sofrimento alheio, e grupos de ajuda, solidariedade, foram formados. Chamo isto de primeiro degrau - o degrau da exclusão, com reação social de misericórdia e solidariedade.

Aos poucos, o morador de rua foi deixado de ser considerado como um excluído e passou para a ser considerado descartável. A reação da sociedade diante do descartável é a indiferença. Já o terceiro degrau chamo de importuno.

Diante de quem é importuno, a reação é eliminá-lo. Talvez isto justifique o fato de o Prefeito de São Paulo ter autorizado a jogar água fria nos moradores de rua pela manhã. Chamo a isto de terceiro degrau: passar da exclusão para o descartável e do descartável para o importuno, com reação social de eliminação.

Existirá outro degrau a ser descido? Agora, para concluir, uma reflexão: será que os moradores de rua são os que estão descendo degraus, ou será que é a sociedade que está descendo os degraus dos valores humanos e éticos, da consciência e solidariedade? Espero que o retorno da direção não demore, sob o risco de avançarmos cada vez mais numa escuridão, e depois não enxergarmos mais os caminhos de volta..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO