São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Viver
Agosto 11, 2017 - 23:19

Projeto do Estado mostra origens de cidades da região

Guaratinguetá

Guaratinguetá

Foto: /Divulgação

Paula Maria [email protected]
Guaratinguetá

Com o objetivo de revelar a origem de algumas das cidades do Estado de São Paulo ocorre, entre os dias 14 e 20 de agosto, a Jornada do Patrimônio Histórico, programa da Secretaria de Estado da Cultura.

No Vale do Paraíba, as cidades que receberão visitas e atividades educativas dessa vez são Guaratinguetá, São Luiz do Paraitinga, São Sebastião e Bananal.

"Consideramos que o interesse pela preservação sempre foi presente. E, ações como essa jornada ajudam na divulgação sobre a importância da preservação do patrimônio cultural como referência para a memória e história das cidades, aproximando as pessoas destes bens", afirmou Elisabete Mitiko Watanabe, historiadora da Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico da secretaria.

TURISMO.

Em Guaratinguetá, as visitas guiadas ocorrem no sábado (19) e domingo (20). O roteiro terá duração de 30 minutos e o percurso a pé passará pelos principais bens de Guará, como a Estação Ferroviária e o Solar Rangel de Camargo.

Já em São Sebastião, a programação tem início na sexta-feira (18), com uma caminhada pelo Centro Histórico. O trajeto terá a duração de 1h e meia, passando pela igreja Matriz e antiga Casa de Câmara e Cadeia, entre outros locais.

As visitas monitoradas retornam no sábado e domingo, dias 19 e 20. Um café caiçara está na agenda.

Em São Luiz, que conta com mais de 450 casas térreas e sobrados tombados pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico), o passeio nos dias 19 e 20 passará pelas igrejas das Mercês e Matriz e o Mercado Municipal.

Em Bananal a programação ainda não foi divulgada.

"O tombamento é um ato administrativo do Poder Público que visa à preservação de um patrimônio por seu valor histórico, arquitetônico, ambiental ou afetivo, evitando que ele venha a ser destruído ou descaracterizado. Assim, uma vez tombado, ele se torna referência para a memória e a história. É uma forma de escrita do passado mas de forma mais efetiva porque se firma em imagens e na materialidade dos objetos, nos trazendo referências concretas deste passado", afirmou a especialista.

SERVIÇOS.

Todos os passeios são gratuitos. Informações sobre horários e locais: http://jornadadopatrimonio.sp.gov.br..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO