São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Agosto 11, 2017 - 23:14

Câmara de Jacareí define operadora de TV, mas programação fica em xeque

TV

TV. Câmara afirma que possui programas gravados para transmissão

Foto: /Divulgação/CMJ

Em pregão de sete horas, empresa vence licitação, mas concorrentes afirmam que vão entrar com recurso contra o resultado

Hernane Lé[email protected]
Jacareí

Depois de sete horas de sessão, a Câmara de Jacareí definiu a empresa que ficará responsável pelas operações do canal legislativo da cidade. O novo contrato deve ser assinado com a Take 1 ao custo de R$ 1,34 milhão. Três produtoras que participaram da licitação afirmaram que vão entrar com recurso contra o resultado do certame, o que pode comprometer a continuidade da transmissão.

O valor da proposta vencedora é R$ 30% menor que a quantia definida como valor máximo a ser pago pela Câmara, que foi de R$ 1,92 milhão. O pregão começou por volta das 9h com a participação de sete empresas. Após um longo período de análise e diversos questionamentos, por volta das 16h, a Take 1 foi declarada vencedora.

A Regional Brasil, de São José, foi desclassificada do certame e disse que vai entrar com recurso. A Costa Norte, que possui contrato com a Câmara há cinco anos para operar o canal legislativo, também vai contestar o resultado. O atual contrato com a empresa, no valor de R$ 1,7 milhão, vence no dia 19 de agosto.

A data coloca em xeque a continuidade da transmissão da TV, uma vez que o período de tramitação dos recursos ultrapassa o fim do contrato com a Costa Norte, impedindo que a Take 1 assuma suas atribuições."Possuímos programas gravados e temos condições técnicas e profissionais de transmitir as Sessões Ordinárias, além da possibilidade de reprisar atrações produzidas", disse a Câmara em nota.

TRAMISSSÃO

O setor de Comunicação da Câmara possui sete jornalistas de carreira, número bem abaixo do necessário para operar a estrutura do canal e a programação. Além disso, funções técnicas, como operador de áudio e vídeo, não podem ser assumidas por esses profissionais. "Existe risco de problemas com Tribunal de Contas nessa licitação, avaliou o vereador Arildo Batista (PT).

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO