São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Política
Agosto 10, 2017 - 23:34

Cotado para 2018, Alckmin usa a Tamoios como modelo para PPP

Tamoios

Tamoios. Operários na escavação de túnel na rodovia dos Tamoios, que liga o Vale do Paraíba ao Litoral Norte.

Foto: /Fotos: Alexandre Carvalho/A2img

Realizada em 2014, a licitação da PPP da Tamoios irá gerar economia de cerca de R$ 3,92 bilhões aos cofres do governo estadual ao longo dos 30 anos de concessão, segundo Estado; valor do contrato é de R$ 3,9 bilhões

Xandu [email protected]
São José dos Campos

A PPP (Parceria Público-Privada) firmada entre Estado e iniciativa privada para a duplicação da Rodovia dos Tamoios é considerada pelo governo estadual como um modelo para o país.

Nesta quinta, cerca de 200 representantes de governos estaduais e municipais, além de secretários e gestores da Presidência de República, encerraram o seminário "Missão Técnica para Concessões e PPPs" com uma visita às obras de duplicação da rodovia, no Litoral Norte.

O evento foi promovido pelo governo estadual que, em nota, informou que o seminário permitiu "dialogar com essas esferas de governo que manifestaram interesse em conhecer o bem sucedido modelo paulista de parcerias do Estado com a iniciativa privada".

TAMOIOS.

O contrato para a PPP da Tamoios foi assinado no final de 2014 com o consórcio administrado pelo grupo Queiroz Galvão, que venceu a licitação. A companhia está duplicando o trecho de serra e recuperando a pista existente, além de operar toda a rodovia.

A duplicação da serra tem custo estimado em R$ 3,9 bilhões, com investimento público de R$ 2,1 bilhões nas obras de duplicação e R$ 715 milhões da Queiroz Galvão, que terá que aportar mais R$ 1 bilhão em 30 anos de concessão.

Segundo o Estado, São Paulo conta hoje com 34 contratos de concessão, que viabilizaram R$ 130 bilhões para a infraestrutura estadual.

"Nos últimos meses, as inovações contratuais trazidas pelos projetos de concessões têm atraído executivos da gestão pública de todo país", apontou o governo.

Além da PPP da Tamoios, a parceria para a construção da Linha 4-Amarela do Metrô foi considerada referência pelo Estado. Assessor jurídico da Concessionária Tamoios, que administra a rodovia, Alberto Sogayar disse que a PPP da estrada é um modelo mais seguro por permitir que os riscos sejam compartilhados, além de oferecer melhor qualidade. "Esse é o caminho natural para o crescimento e a retomada do investimento de infraestrutura do país".

CONTRAPONTO.

"O alvo é sempre prestar o melhor serviço para a população. Estamos juntos para buscar esse resultado", disse. Para Sérgio Ejzenberg, engenheiro civil e mestre em Engenharia de Transportes, o fato de a Queiroz Galvão ser investigada no âmbito da Lava Jato pode ser sinal de que a PPP não é tão segura. "É preciso esclarecer essa investigação antes de afirmar se a PPP é completamente segura"..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO