São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Economia
Agosto 04, 2017 - 01:43

GM deixa São José de fora de novo anúncio de investimentos

Bolsa Família GM e acidentes

Linha de produção. Metalúrgicos durante a fabricação de automóveis na fábrica da GM (General Motors)

Foto: /Divulgação

Em nota, General Motors informou que o montante de R$ 1,4 bilhão será aplicado no "desenvolvimento de novos produtos e para introduzir conceitos inovadores de manufatura e qualidade 4.0" em Gravataí (RS)

Xandu [email protected]
São José dos Campos

A General Motors anunciou nesta quinta-feira que irá investir R$ 1,4 bilhão no complexo industrial de Gravataí (RS). O montante é parte do plano de investimentos de R$ 13 bilhões no Brasil, entre 2014 e 2019.

Novamente, a fábrica de São José ficou de fora. O complexo nem mesmo faz parte do pacote de gastos até 2019, em razão de a GM considerar a fábrica "pouco competitiva" para carros de passeio.

Atualmente, são montadas a picape S10 e a SUV Trailblazer em São José, além de motores e transmissões. Não há nenhum novo carro em vista para a planta, pelo menos em curto prazo, o que pode comprometer o futuro do complexo.

"Uma montadora precisa de projetos novos e eles não estão sendo direcionados para São José. Isso é muito preocupante", avaliou Almir Fernandes, diretor do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) em São José.

Em nota, a montadora informou que o montante de R$ 1,4 bilhão será aplicado no "desenvolvimento de novos produtos (leia-se carros) e para introduzir conceitos inovadores de manufatura e qualidade 4.0".

O pacotão brasileiro, lançado há dois anos, foi destinado ao desenvolvimento de uma nova família de veículos, que será produzida no país. Serão seis modelos diferentes. Eles chegarão ao mercado em 2019.

Sindicato faz três acordos com empresa e assegura abertura de duas novas linhas

No final do ano passado, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José negociou três acordos com a GM para a contratação de 1.050 trabalhadores temporários neste ano, para duas linhas de usinagem para motores a diesel abertas na fábrica. Para o presidente do sindicato, Antônio Ferreira de Barros, as novas linhas abrem perspectivas futuras..

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO