São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Viver
Julho 25, 2017 - 23:42

Caçapava ganha espaço cultural e quer se tornar referência

Casa Amarela Caçapava

Casa Amarela Caçapava

Foto: Divulgação

Paula Maria [email protected]
Caçapava

Psicóloga, natural de Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro, Elda Varanda Dunley encontrou no Vale do Paraíba ambiente ideal para que pudesse alimentar sua paixão pela cultura popular. Moradora de Caçapava desde 1980, ela abraçou a congada, o moçambique, o maracatu... E, quando a região ficou "pequena" para a sua sede de conhecimento, partiu para Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e passou a promover verdadeiros intercâmbios entre artistas de lá e daqui.

Recentemente aposentada da profissão, Elda se impôs um desafio: levar conhecimento ao maior número de pessoas possível. Assim, o prédio que serviu de residência e consultório nos últimos anos tornou-se a Estação Casa Amarela, novo espaço cultural de Caçapava.

"Nós abrimos esse espaço em 3 de março, primeiro com mobiliário do século 19, herança dos meus antepassados, Varanda e Dunley. Agora, além desse acervo contamos com outras sete exposições", conta a pesquisadora.

O espaço conta com 700 m² construídos em 1280 m² de terreno. E são, ao todo, nove salas de galeria mais a sala Darcy Ribeiro, concebida para receber uma intensa programação de arte e cultura, incluindo apresentações de dança, música, teatro e performances, além das exposições e atividades de ensino.

"Caçapava não tem um espaço para exposições como este. Aliás, o Vale do Paraíba como um todo não tem um local com tantas salas. E, nós estamos entre dois grandes centros: São Paulo e Rio de Janeiro, e, uma vez que estamos no meio do caminho, podemos trazer inúmeros trabalhos para cá", afirmou Elda.

DESTAQUES.

Entre as exposições de cartaz estão "Da África ao Brasil", trabalho da artista plástica Nice Sant, de Petrópolis (RJ); "O Xamã" e "It was Amazon", ambas de Jader Esbell, artista indígena da tribo Mucuxi, de Roraima.

Os quadros do artista plástico joseense Sandro Miller estão na mostra "Raízes da Fé", e as esculturas em metal e madeira do paulista Paulo Medina estão em "Gratidão".

As cores das obras de taubateano Kleber Marcelino completam a galeria ao lado de "Lembranças do Cinquentenário da Catástrofe de 18 de março de 1967", realizada em parceria com a Fundacc (Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba) e a Prefeitura de Caraguatatuba.

Em setembro já estão agendadas mostras com as obras do caçapavense Marcelo Casoni e do fotógrafo carioca Wander Rocha. No mesmo mês, a Estação ainda vai sediar a Etapa São Paulo da Copa Brasil de Fotografia.

SERVIÇO.

Ainda que sem apoio do poder público e/ou privado, Elda pretende manter a entrada gratuita. "Estou por ora sozinha no barco, mas preciso de apoiadores que me ajudem a manter o espaço para que o espaço consiga se fortalecer".

A Estação Casa Amarela fica na rua José Ludgero de Siqueira, 30 e 32 - Vila São João. Funciona de terça a domingo, das 10h às 22h. Todas as visitas precisam ser agendadas. Informações: www.facebook.com/estacaocasaamarela.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO