São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Nossa Região
Maio 17, 2017 - 17:01

Em protesto, grupo de alunos vai à aula com trajes femininos no ITA

Aluno do ITA

Aluno do ITA

Foto: Arquivo Pessoal

Danilo Alvim
São José dos Campos

No Dia Internacional Contra a Homofobia, um grupo de alunos do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) de São José dos Campos foi para a aula vestidos com trajes considerados femininos.

Augusto Martins, 22 anos, que cursa Engenharia da Computação na instituição foi à aula de drag queen e disse que a manifestação teve uma boa repercussão na instituição. "Sensibiliza a comunidade Iteana. Sofremos preconceito diariamente. Sofremos adversidades com comentários inoportunos".

A Agita (Associação LGBT do ITA) se uniu a favor da causa e criou um vídeo em resposta ao preconceito, com a participação de engenheiros da instituição de ensino. "A luta é diária e de todos, a Agita está de braços abertos", informou a publicação da Associação.

Celebrado nesta quarta-feira, 17, a data foi escolhida lembrando a exclusão da homossexualidade da CID (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde) da OMS (Organização Mundial da Saúde), em 17 de maio de 1990, oficialmente declarada em 1992.

Protesto. Não foi a primeira manifestação contra a homofobia do grupo, no dia 20 de dezembro um vídeo da formatura do ITA viralizou na internet. De salto alto e vestido, o engenheiro Talles de Oliveira Faria, de 24 anos, se formou no ITA fazendo um protesto contra a homofobia durante a solenidade realizada no DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial).

Na época, Talles, que se formou em Engenharia da Computação, revelou que o protesto durante a solenidade de colação de grau foi uma maneira de tentar chamar a atenção para a homofobia que ele sofreu enquanto esteve no instituto e no período que serviu a Aeronáutica. No momento da formatura, ele vestia um vestido vermelho, chamando o ITA e a FAB (Forças Aéreas Brasileiras) de machistas e homofóbicos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO