São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Brasil
Maio 18, 2017 - 18:18

Após denúncias, Aécio Neves deixa a presidência do PSDB

Senador Aécio Neves

Senador Aécio Neves

Foto: Agência Brasil

Redação
Brasília

O senador Aécio Neves afirmou que decidiu licenciar-se da presidência nacional do PSDB. Em nota divulgada no fim da tarde desta quinta-feira, um dia após denúncias apontarem que ele teria pedido dinheiro à JBS, o tucano disse que se dedicará a provar sua inocência.

"Me dedicarei diuturnamente a provar a minha inocência e de meus familiares para resgatar a honra e a dignidade que construí ao longo de meus mais de trinta anos de vida dedicada à política e aos mineiros em especial", disse o senador. "O Brasil precisa que o PSDB continue a ser o fiador das importantes reformas que vêm mudando o país", afirmou o político, ao indicar o senador Tasso Jereissati para assumir o cargo interinamente.

Aécio é investigado por pedir R$ 2 milhões à empresa JBS para pagar sua defesa na Operação Lava Jato. Na noite desta quarta-feira, o jornal O Globo informou que o empresário Joesley Batista, um dos donos do frigorífico JBS, gravou o tucano pedindo a quantia em dinheiro.

Segundo o jornal, Aécio negociaria um intermediador para receber o dinheiro. "Tem que ser um que a gente mata antes de fazer a deleção", disse o senador, indicando seu primo, Frederico Medeiros, um dos coordenadores de sua campanha presidencial em 2014. A reportagem diz ainda que a entrega foi registrada em vídeo pela Polícia Federal. A PF rastreou o caminho do dinheiro e descobriu que o montante foi depositado numa empresa do senador Zezé Perrella (PMDB).

Na manhã desta quinta-feira, a Procuradoria-Geral da República havia solicitado a prisão de Aécio, mas o pedido foi negado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, que decidiu afastá-lo do cargo de senador.

Na manhã desta quinta-feira, agentes da Polícia Federal cumpriram mandados de busca e apreensão no gabinete de Aécio e de Perrella. Endereços ligados ao presidente do partido tucano no Rio de Janeiro, em Brasília e em Minas Gerais também passaram por buscas. Andrea Neves, irmã de Aecio, foi presa nesta manhã.

Em nota publicada na noite de ontem, a assessoria afirmou que o senador está 'absolutamente tranquilo' quanto a seus atos e confirmou que há uma relação com o empresário, mas estritamente pessoal e sem qualquer envolvimento com o setor público.

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO