São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
Brasil
Abril 18, 2017 - 17:09

Meirelles diz que país continua a trabalhar independentemente de denúncias

Brasília - Os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, anuncia corte no Orçamento-Geral da União (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Brasília - Os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, anuncia corte no Orçamento-Geral da União (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Agencia Brasil
Brasília

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse hoje (18) que o governo continua a trabalhar independentemente dos inquéritos abertos pelo Supremo Tribunal Federal para investigar ministros e parlamentares e que levará essa mensagem às reuniões do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do G20 das quais participará esta semana em Washington

"Minha mensagem será simples: o país continua a trabalhar independentemente de haver inquéritos envolvendo congressistas, autoridades, entre outros. As pessoas continuam nos seus cargos e trabalhando, o ritmo de trabalho continua normalmente", disse Meirelles após participar do encerramento de uma conferência internacional promovida pelo Itaú em São Paulo.

O ministro, que embarca esta noite para os Estados Unidos, falou sobre a economia e a conjuntura brasileiras para uma plateia de investidores, analistas e empresários. Em entrevista após a apresentação, Meirelles disse que o país está voltando a crescer no ritmo esperado. "É um processo normal de retomada de crescimento, mas o índice mensal de atividade medido pelo Banco Central já mostra crescimento no último mês de 1,3%. Está consistente com a nossa projeção de chegar até o final desse ano com crescimento na margem de 2,7% [em relação ao último trimestre de 2016], e entrando em 2018 com um ritmo de acima de 3% de crescimento", analisou.

Meirelles reafirmou que, por enquanto, não há previsão de aumento de impostos. "Não estamos contemplando no momento aumento de impostos". Segundo ele, o momento é de retomada no crescimento. "Com o ajuste fiscal, estamos numa parte fundamental no processo, criamos condições para o país começar a crescer. A partir daí nós já temos uma agenda grande de reformas microeconômicas, visando aumentar a produtividade da economia através da desburocratização."

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade  
Publicidade
Publicidade

BRASIL

MUNDO