São José dos Campos
20º / 26º
No decorrer do dia o dia terá com variação de nebulosidade na região.
REGIAO
March 17, 2017 - 09:00

RMVale perde 18 mil empregos no setor industrial em dois anos

Carteira de Trabalho

Foto: Divulgação

De acordo com dados do Ciesp, indústrias do Vale do Paraíba fecharam milhares de vagas no período entre fevereiro de 2015 e de 2017. Em fevereiro, a região registrou 350 vagas de emprego perdidas nas indústrias

Xandu Alves
São José dos Campos

As indústrias na Região Metropolitana do Vale do Paraíba fecharam 18 mil postos de trabalho nos últimos dois anos, segundo levantamento do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), divulgado ontem.

O número de desempregados equipara-se a uma Embraer quase que inteira. A fabricante de aviões emprega 19 mil pessoas no mundo, 13 mil delas em São José.
Entre março de 2015 a fevereiro do ano passado, o setor acumula perda de 14.150 empregos na região.

De março de 2016 até fevereiro deste ano, o saldo negativo na região foi de 3.850, alcançando 18 mil postos de trabalho em 24 meses. "É um número que assusta em qualquer avaliação. O setor industrial vai demorar para recuperar esse patamar de trabalhadores demitidos em dois anos", afirmou o economista Fernando Lacerda.

Encolheu. A perda acumulada de vagas de trabalho, de acordo com ele, mostra que as indústrias da RMVale encolheram nestes últimos dois anos, o que revela o impacto da crise econômica, que afugentou investimentos.

Para o empresário Almir Fernandes, diretor do Ciesp em São José, a confiança do setor industrial vai voltar aos poucos, dependendo das reformas que o governo federal fizer no primeiro semestre, principalmente para desonerar a produção.

Com isso, ele acredita em uma recuperação no segundo semestre. "Acho que vai ser melhor. É o que esperamos, e é a meta na qual iremos trabalhar", disse.

Vale. Em fevereiro, a RMVale registrou 350 vagas de emprego perdidas nas indústrias, mas com saldo positivo no acumulado do ano, de 50 postos de trabalho. O resultado deve-se à recuperação, ainda que lenta, do setor industrial na regional do Ciesp em Taubaté, formada por 28 cidades.

Elas registraram 150 empregos criados em fevereiro e 300, no acumulado do ano, o que não ocorria desde 2015. O saldo só é negativo nos últimos 12 meses, com -1.550.
São José, cuja regional congrega oito municípios, perdeu 350 empregos em fevereiro, fechou 400 postos no primeiro bimestre e mais 2.350 vagas nos últimos 12 meses.

Com três cidades, Jacareí perdeu 50 vagas em fevereiro deste ano, mas registrou números positivos no acumulado do ano (150) e também nos últimos 12 meses (50).

Saldo. "O desafio do setor industrial é manter a recuperação, ainda que lenta, e ir diminuindo esse saldo negativo de vagas de trabalho", afirmou Lacerda. "Mas isso só deve ocorrer em meados de 2018", completou o economista.

Região tem saldo positivo em fevereiro


A Região Metropolitana do Vale do Paraíba gerou 330 empregos formais (com carteira assinada) em fevereiro deste ano, considerando todos os setores da economia. O saldo positivo não ocorria desde novembro do ano passado, quando foram abertas 455 vagas na região.

Os dados foram divulgados ontem pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Emprego.

Mesmo assim, o saldo ainda é negativo no acumulado do ano: -1.855 empregos, fruto do fechamento de 2.185 vagas de trabalho apenas em janeiro. A região seguiu a tendência do país que, após 22 meses perdendo vagas, abriu 35.612 empregos formais em fevereiro (leia mais no caderno Brasil &). O saldo positivo não ocorria desde março de 2015 no Brasil, quando a economia do país criou 19.282 empregos.

Setores. No acumulado do ano, o setor que mais criou vagas foi a administração pública, com 699 vagas abertas.

Depois de meses seguidos perdendo empregos, o setor de serviços abriu 410 postos de trabalho no primeiro bimestre. Mas não foi seguido pelo comércio, responsável pela maior perda de vagas na região: -1.544 empregos nos dois primeiros meses do ano.
A construção civil também cortou vagas: -1.466 em janeiro e fevereiro.

Caraguatatuba foi a cidade que mais perdeu empregos no ano: 928 postos, seguida de São José (-517), São Sebastião (-384), Ubatuba (-364), Taubaté (-195), Aparecida (-190) e Jacareé (-86). Quem mais criou vagas foi Lorena (279).

Publicidade
Publicidade
Publicidade  
Publicidade
Publicidade

Brasil

Mundo